23 abr 2019 / Media & Publicações

Jornal Dinheiro Vivo - Call Coaching: Este É o Novo 112 das Empresas

O novo serviço por telefone permite sessões com um coach em situações SOS. Empresas e estudantes são público-alvo. 

 

A ideia já mora há 30 anos na cabeça da Sofia Calheiros. A empresária, psicoterapeuta e mãe do coaching em Portugal imaginou esta possibilidade muito antes de a tecnologia permitir que ela fosse possível de execução. No início do ano, o sonho concretizou-se e nasceu o Call Coaching.

 

Este serviço permite que qualquer pessoa possa aceder a uma sessão coaching, em momento SOS, sem ter de fazer um agendamento presencial. “O objetivo é podermos ajudar as pessoas rapidamente, no momento em que elas realmente precisam. Ou porque têm de tomar uma decisão importante, ou porque vão entrar numa apresentação, ou porque têm uma equipa desmotivada”, conta Sofia Calheiros, responsável pela novidade e pela Sofia Calheiros & Associates, empresa de coaching e consultoria.

 

O processo funciona de forma pragmática. Basta aceder ao site, fazer o pagamento através de cartão bancário e explicar sucintamente qual é a questão para a qual solicita ajuda. Num espaço que pode demorar entre 30 a 60 minutos, um coach especializado telefona ao cliente. Nesse período de tempo, o coachee é contactado por e-mail para se preparar para a sessão. A intervenção dura 20 minutos e tem um preço de 150 euros. Tempo suficiente para o apoio necessário, assegura Sofia, que tem uma experiência de mais de 30 anos nesta área. “Coaching até se consegue fazer em três minutos. Desde que a pessoa tenha vontade. Nós somos treinados para intervenções curtas.”

 

Atualmente as chamadas estão disponíveis em português, espanhol, francês, alemão e inglês. Em horário laboral entre as 09h00 e as 18h00. Contudo, o objetivo é que muito em breve o serviço funcione 24 horas por dia. Expandir o Call Coaching para outras geografias também está nos planos de Sofia. Uma das maiores ventagens dos telefonemas é a discrição.

 

“Quando vamos a organizações há pessoas que não gostam que os outros saibam que estão a fazer coaching. Este serviço ofrece liberdade e privacidade. É quando e às horas que o cliente deseja.” Quem partilha da mesma opinião é Luise Sequeira, business partir da Patronas, que se estreou numa sessão de coaching com o Call Coaching. “Como era a primeira vez tinha algum receio, mas o facto de ser por telefone deixou-me menos tímida e é mais prático. Tinha várias questões na minha cabeça e a coach conseguiu fazer que eu encontrasse a respostas”, atesta. Empresas, gestores e equipas são público-alvo.

 

“Há chefias que não conseguem estar presentes em todo o lado e assim têm um serviço que apoja os trabalhadores”, refere a empresária. Também os finalistas universitários e os jovens em início de carreira estão na mira de Sofia. “Quando se entra no mercado de trabalho é um choque a transição. Às vezes não começamos com a melhor performance e se não correr bem pode ser destrutivo para os jovens. Os primeiros anos são determinantes.”

 

Além das chamadas SOS, há também a possibilidade de subscrever um serviço de coaching regular, à distância, com sessões que duram até 50 minutos. Aqui o cliente pode escolher o coach da sua preferência e agendar comprados pacotes de várias sessões ou sessões únicas. Os preços variam entre os 300 euros e os 380 euros.

 

Por: Rute Simão

 

Sofia Calheiros / Leadership & Coaching